Cisvestismo: um fetichismo também transvéstico


(Foto: Milhem Cortaz, em O Sétimo Guardião, Rede Globo 2019)


CISVESTISMO: Fetiche com um tipo particular de vestes, em geral uniforme de enfermeira, garçonete, policial, bombeiro, escolar etc... e também vestir as roupas do próprio sexo do indivíduo, mas inadequadas para a sua condição. Por exemplo, quando um adulto se veste como uma criança, uma criança como adulto, um civil como policial e/ou oficial do exército, entre outros. Tais atos são chamados cisvestismos. Muitas pessoas não sabem, mas são adeptas do CISVESTISMO. Mas antes de se desesperar e procurar um médico acalme-se, pois essa parafilia não é uma doença. Muito pelo contrário, pode ser a solução para a vida sexual. Essa é a classificação para as pessoas que sentem prazer por alguma vestimenta além do ato sexual em si. Algumas pessoas usam do cisvestismo como um estimulante inicial para o clímax na hora da relação, outros necessitam exclusivamente disso para se excitar.

O cisvestismo tem, em uma de suas formas mais comuns, o fetichismo transvéstico. O nome é complicado? Pode até ser, mas a tradução é bem simples: homens que usam calcinha, ou outras peças do vestuário íntimo feminino.

Este fetiche atrai um grande número de homens no mundo inteiro, embora seja ainda uma prática mantida entre quatro paredes nos conservadores e machistas países da América Latina.

O fato d´ele usar lingerie não é um carimbo na testa. Em geral, quando não estão transvestidos, eles costumam ser irreparavelmente masculinos. Não há uma regra que ligue esse fetiche a uma opção sexual. E acredite: não são poucos os heterossexuais que sentem um prazer imenso em usar um lingerie feminino. Isso, segundo eles, não interfere em nada na sua condição sexual de hétero.

Homens que usam calcinha podem ter esta prática como uma terapia contra ansiedade e depressão, uma vez que usar a peça proporciona prazer a eles. E o benefício é que estas roupas podem ser usadas no dia-a-dia sem levantar suspeitas.

Em outros casos, o uso pode servir para um momento de intimidade com seus parceiros ou parceiras, ou para se masturbar, num momento de erotismo.