O surgimento do comportamento Leather: Fetiche por quepes, jaquetas e luvas de couro

Atualizado: 3 de Jul de 2020


(Foto reprodução link https://www.chron.com/local/article/Folson-Street-Fair-Gay-leather-prom-history-SoMa-13248943.php#photo-16229082 )


O comportamento Leather pode ser compreendido historicamente como parte integrante de toda uma Contra-Cultura surgida nos anos 1950 e 1960. Trata-se de uma série de movimentos e propostas de estilo de vida que rompiam com os modelos sociais e de comportamento vigentes até o pós-guerra, e que buscavam o estabelecimento de novos modelos sociais e a aceitação de minorias em contraposição à sociedade conservadora, levando roupas e acessórios de couro para o mundo dos fetiches.

O crescimento e difusão desses novos modelos de comportamento só foi possível porque este período de reconstrução da economia mundial passara a ser um período de florescimento cultural, crescimento e diversificação da indústria e do mercado. Esse fenômeno permitiu às massas criarem novas identidades a partir de sua ideologia, novos bens de consumo disponíveis, serviços e estéticas compartilhadas.

Esse período marca também a explosão e difusão de novas mídias como revistas e periódicos especializados, e espaços diversificados de convivência como bares e clubes noturnos. É nesse contexto que o movimento Leather surge, e cresce quase que ao mesmo tempo nos Estados Unidos, na Inglaterra, na Holanda e na Alemanha (mais especificamente Berlim).

Inspiração para roupas e acessórios